Motorista assume o roubo no DPT

A polícia começou a desvendar nesta sexta o roubo de armas do Departamento de Polícia Técnica de Itabuna. Em operações realizadas por policiais militares e civis, 11 armas foram apreendidas, sendo quatro pistolas do uso restrito da Polícia Militar.

As pistolas .40 da PM estavam no DPT para a perícia. Além delas, sete revólveres foram apreendidos em um galpão no bairro Sarinha. O motorista de rabecão Afrânio Cunha da Hora Filho (foto), de 45 anos, e outros sete suspeitos foram detidos.

Afrânio assumiu que fez o roubo sozinho, mas a polícia tem certeza que ele agiu com ajuda de comparsas e as armas foram uma encomenda. Afrânio contou que foi ele quem entrou na sala e retirou as armas, mas a polícia sabe que isso é mentira.

Primeiro porque o corpo do motorista não passaria pelo local por onde o ladrão fugiu. Segundo, Afrânio não sabe pilotar motos e os bandidos saíram do local em uma. A úncia certeza é que ele participou do arrombamento do DPT e do roubo das armas.

Afrânio foi denunciado por parentes, que desconfiaram de seu comportamento. Ele dirigia o rabecão há cinco anos e foi indiciado pelo delegado Moisés Damasceno por porte irregular de armas e peculato (exercia função pública quando cometeu o crime).

O arrombamento ocorreu por volta das 21h30 de quarta-feira, período em que a coordenadora do DPT, Márcia Valéria, saiu do prédio por alguns minutos. Márcia conta que, ao retornar, tentou abrir a porta, mas ela estava escorada por uma moto por dentro.

A coordenadora afirmou que ouviu barulho no interior da sala do DPT e acionou a polícia, mas o invasor ou invasores conseguiram fugir.