Semana que vêm...


Olá amigos, este post, refere-se a uma coisinha que deixa-nos um pouco tristes. O lema "semana que vêm..."! Vejamos, nossa profissão sempre que solicitada nunca e jamais, pode dizer, "calma, já estou indo!". Sempre temos e devemos que estar prontos. Porém, qual o motivo, que nos leva a sempre aceitar a resposta às nossas solicitações de "semana que vêm!"?
Imagino quê, se um dia disser-mos o mesmo, seremos taxados de negligentes. Mas, segue uma letra, de música, que de fato expressa  uma sensação que estar mudando nas mentes de nossos colegas.
Depois de lerem a música, por favor comentém, sobre o que os senhores acham deste movimento, de querer mudança imediata. Apoiem as mudanças.

Composição: Pitty Leone
Título: Semana que vem
Álbum: Admirável Chip Novo - 2003

Amanhã eu vou revelar
Depois eu penso em aprender
Daqui a uns dias eu vou dizer
O que me faz querer gritar

No mês que vem tudo vai melhorar
Só mais alguns anos e o mundo vai mudar
Ainda temos tempo até tudo explodir
Quem sabe quanto vai durar

Não deixe nada pra depois, não deixe o tempo passar
Não deixe nada pra semana que vem
Porque semana que vem pode nem chegar
Pra depois, o tempo passar
Não deixe nada pra semana que vem
Porque semana que vem pode nem chegar

A partir de amanhã eu vou discutir
Da próxima vez eu vou questionar
Na segunda eu começo a agir
Só mais duas horas pra eu decidir

Não deixe nada pra depois, não deixe o tempo passar
Não deixe nada pra semana que vem
Porque semana que vem pode nem chegar
Pra depois, o tempo passar
Não deixe nada pra semana que vem
Porque semana que vem pode nem chegar

Esse pode ser o último dia de nossas vidas
última chance de fazer tudo ter valido a pena
Diga sempre tudo que precisa dizer
Arrisque mais, pra não se arrepender
Nós não temos todo o tempo do mundo
E esse mundo já faz muito tempo
O futuro é o presente e o presente já passou
O futuro é o presente e o presente já passou

Nada pra depois, não deixe o tempo passar
Não deixe nada pra semana que vem
Porque semana que vem pode nem chegar
Pra depois, o tempo passar
Não deixe nada pra semana que vem
Porque semana que vem pode nem chegar
Nada pra depois, não deixe o tempo passar,
Não deixe nada pra semana que vem,
Porque semana que vem pode nem chegar
Pra depois o tempo passar,
Não deixe nada pra semana que vem,
Porque semana que vem pode nem chegar!

Fonte:Vagalume

Policial administrativo x operacional: a divisão




Entre as várias divisões pregadas no âmbito das instituições policiais (praças x oficiais, agentes x delegados, especializados x convencionais etc) uma destacável é a contraposição entre os policiais que atuam na atividade fim (operacionais) e os que atuam na atividade meio (administrativos). Os operacionais acusam os administrativos de privilégios, de viverem “na sombra”, longe dos riscos e desgastes que a atividade operacional possui. Os administrativos, por sua vez, alegam a importância do seu serviço, e dizem que sem seus esforços na estruturação das condições de trabalho da operacionalidade, nada daria certo.

De certo modo, ambos estão certos, pois essas não são afirmações excludentes. Atuar no serviço operacional de rua traz desgastes como a passagem de noites insones, exige preparo físico no desenrolar das ocorrências (é preciso correr, se manter de pé por muito tempo, carregar peso etc), e, além do mais, expõe o policial ao risco de morte, já que a possibilidade de cofronto armado com suspeitos é evidente. Nenhum desses fatores atingem o policial empregado no serviço administrativo.

Este, porém, trabalha viabilizando o serviço do policial da operacionalidade, e até diminuindo os desconfortos a que este é submetido. É o policial da administração que realiza a licitação para a compra de um coturno mais confortável. É o policial da administração que racionaliza as horas de trabalho de cada policial. É também ele que garante, através dos procedimentos burocráticos, a concessão de férias, licenças e outros direitos dos policiais.

Assim, os serviços administrativos e operacionais são complementares, embora os “de rua” passem por mais desconfortos que os demais. Uma crítica justa, neste sentido, é o gasto às vezes feito com policiais que atuarão na administração mas que possuem toda a formação de um policial operacional (de técnicas policiais, tiro, defesa pessoal…). Como fazem as Forças Armadas brasileiras, as polícias devem direcionar a carreira de determinados profissionais a determinadas funções, evitando gastos desnecessários – qual o sentido de um policial aprender tiro policial se passará toda a sua carreira trabalhando com licitação?

Outra proposta vem sendo adotada, a contratação de auxiliares administrativos ou soldados temporários para assumir funções da administração (como telefonista) que não precisam de conhecimento técnico-policial para serem desenvolvidas. A ideia é liberar o policial administrativo (com formação operacional) para atuar  nas ruas. Apesar de ser uma boa tese, o cuidado se refere à desenvoltura e probidade desses auxiliares no desempenho do serviço.

De qualquer modo, é preciso se distanciar das vaidades que às vezes surgem em virtude da diferenciação administrativo x operacional. Sem todas as engrenagens, por menor que sejam, não há motor que funcione.

Colunista social é encontrado morto em apartamento em Rio Claro, SP


O colunista social Carlos Curcio, de 50 anos, foi encontrado morto na manhã desta quinta-feira (13) em seu apartamento no bairro Cidade Jardim, em Rio Claro, no interior de São Paulo. Ele trabalhava havia 26 anos em um jornal do município do interior paulista.
A Polícia Civil acredita que o autor do crime seja um conhecido do colunista. Ele foi encontrado morto por parentes. No local, não havia sinal de arrombamento.
Segundo a perícia, foi constatado que o ferimento não foi feito por arma de fogo, apesar da suspeita inicial. De acordo com informações da Polícia Civil, a perfuração foi feita com uma faca. A vítima também teve os dentes quebrados. O local do crime tem indícios de luta corporal.
A polícia suspeita que Curcio tenha sido assassinado na terça-feira (11) e trata o caso como homicídio, mas não descarta a hipótese de latrocínio - morte em consequência de roubo. A arma do crime não foi localizada. A polícia procura o assassino.
Antes da localização do corpo, o veículo do colunista social foi encontrado pela Guarda Municipal abandonado no bairro Recanto Paraíso.
Fonte: G1

PCCR da Guarda Municipal da Capital será votado na próxima quarta-feira na Câmara Municipal


A Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) recebeu, na sessão ordinária desta quinta-feira (13), os servidores da Guarda Municipal da cidade, que pretendiam testemunhar a votação do projeto de lei encaminhado pelo Executivo Municipal, que estabelece o Plano de Cargos Carreiras e Remuneração (PCCR) da categoria. Os servidores foram convidados para a votação do projeto em plenário na próxima semana.

A matéria cria o novo organograma da Superintendência, versando sobre sua finalidade e competência, sua estrutura básica, corregedoria, assessoria jurídica, diretoria geral, cargos em comissão e funções de confiança. Os principais pontos apresentados no documento são as diretrizes, objetivos e composição da Guarda, suas atribuições e todo o processo para investidura nos cargos através de concurso público, as determinações sobre os vencimentos, jornada de trabalho, evolução funcional, avaliação de desempenho e política de capacitação.

O vereador Zezinho Botafogo (PSB) informou que não haveria votação da matéria, mas já estava com ela em mãos para estabelecer seu parecer. Ele garantiu à categoria que no mesmo dia devolveria o projeto à secretaria da Casa para o encaminhamento a outras Comissões. Tavinho Santos (PTB) convidou os servidores a participarem, na próxima segunda-feira (17), das reuniões das Comissões de Políticas Públicas e Finanças e Orçamento para acompanhar a avaliação do projeto.

O presidente da Casa, vereador Durval Ferreira (PP), afirmou que, caso a matéria seja apreciada em todas as Comissões, ela será votada em plenário na próxima quarta-feira (19). Em seguida, será automaticamente encaminhada ao Executivo Municipal para sua sanção.
Fonte: PB Agora

Ao VIVO

Estivemos com uma transmissão ao vivo, da festa do dia das crianças, em Itabuna-Ba.

Guarda Municipal encontra faca que seria usada em briga dentro de escola.

Agentes da Guarda Municipal encontraram na manhã desta sexta-feira (7) uma faca escondida dentro do banheiro de uma escola municipal no Setor Asa Branca, região Norte de Goiânia. Segundo a polícia, a faca seria usada em um acerto de contas entre dois adolescentes, um de 14 e outro de 16 anos. Os dois adolescentes, que já teriam se envolvido em uma briga, iriam brigar novamente nesta sexta-feira. O motivo seria o namoro com uma mesma garota.
Após a denúncia de briga, a Guarda Municipal foi chamada e depois de uma busca encontraram um local, dentro do banheiro, onde os menores escondiam objetos, incluindo a faca. Os responsáveis foram chamados à escola e pais e adolescentes foram conduzidos à Delegacia de Polícia de Apuração de Atos Infracionais (Depai), que vai investigar o caso.
Fonte: G1.com

Video: Guardas municipais fazem operação.










 




Fonte: Globo.com