Prefeitura diploma 65 guardas civis municipais

Ao som do "Tema da Vitória", um total de 65 guardas civis municipais (GCM) da Prefeitura de Itabuna receberam na tarde desta sexta-feira, em solenidade na Praça Rio Cachoeira, os certificados de conclusão do curso prático e teórico de armamento e tiro, realizado em Lauro de Freitas, Região Metropolitana de Salvador. O prefeito Claudevane Leite, patrono da turma e a secretária da Administração, Mariana Alcântara, paraninfa, saudaram e diplomaram 59 homens e seis mulheres.
Na oportunidade, o prefeito Vane falou da importância do realizado e lembrou-se da promessa que fez no início do governo de valorizar a Guarda Civil Municipal (GCM). Disse ainda o prefeito que a administração vai continuar investindo nestes "guerreiros pais e mães de família".
A secretária Mariana Alcântara salientou que este é o primeiro passo para que a GCM seja modernizada e aparelhada. Mariana relatou que, após o recesso da Câmara de Vereadores, será enviado àquela casa um projeto que altera a atual lei em vigor para transformar a Polícia Administrativa em Guarda Civil Municipal.
Mariana informou também que, logo após a aprovação da lei, será elaborado e discutido o Regimento Interno da GCM, o que possibilitará, entre outras coisas, a assinatura de convênio com a Policia Federal para que os guardas civis de Itabuna possam utilizar armas de fogo, quando em serviço. "A nossa meta é formar 100% da guarda e treiná-los permanentemente", garantiu a secretária.
O comandante da GCM Antônio Roberto Góes Batista, disse que um melhor preparo da equipe só trará benefícios e mais segurança à população de Itabuna. O comandante parabenizou seus comandados garantindo que muito mais ainda está por vir, com o apoio do prefeito Vane.
O município conta hoje com 207 guardas civis municipais que estavam desmotivados e desvalorizados, mas que, a partir da realização deste curso, começam a perceber que nesta administração terão oportunidades de crescimento profissional e reconhecimento. Para o GCM Silvio Marques, o curso foi uma boa iniciativa do governo e afirmou que "agora com respaldo técnico e jurídico, a responsabilidade será ainda maior".
Já o inspetor Carlos Néris, também diplomado, declarou que o curso foi ótimo para todos. Segundo ele, desde 2001 na Guarda Municipal, nenhum governo demonstrou preocupação com a capacitação e valorização dos guardas civis municipais. "O curso nos trouxe disciplina e maior conhecimento", disse.
Prestigiaram a solenidade o deputado federal Márcio Marinho (PRB-BA), secretários municipais, vereadores Nadson Monteiro (PPS) e César Brandão, líder do governo na Câmara Municipal, autoridades das polícias militar e civil, além de convidados e familiares dos diplomados.

Programa Cidade de Paz tem metas para 20 anos

Uma das principais propostas do governo municipal, defendida pelo prefeito Claudevane Leite desde a campanha, o programa Cidade de Paz já está com as suas linhas e metas definidas. O programa, que agrega 26 projetos acessórios, foi finalizado e as ações planejadas já começam a ser executadas. O programa se caracteriza pelo enfrentamento da vulnerabilidade e risco social e visa preparar Itabuna para os próximos 20 anos.
Na semana passada, o coordenador-técnico do Cidade de Paz, Roberto José da Silva, presidente da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania - FICC, entregou oficialmente ao prefeito uma cópia do programa. O prefeito participou da articulação do Cidade de Paz desde a composição do grupo de trabalho. Segundo Roberto, o programa foi elaborado de forma horizontal, com diálogo entre o gestor municipal e o grupo de trabalho responsável pela formatação do texto final.
"Esse documento é apenas a certidão de nascimento de um programa que nasceu desde o início do governo. O pacote de obras trata de intervenção urbana e humanização de áreas. É o olhar de um grupo" explicou o coordenador-técnico. "Sonhamos com uma cidade de paz. Queremos uma cidade melhor para nossos filhos. O governo municipal vai defender esta cidade para que ela seja um lugar melhor para se viver", afirma.
Roberto José da Silva explicou que é preciso repensar o espaço urbano e desenvolver nas pessoas uma identidade no entorno da sua moradia, a partir da vivência e do uso. "O que está sendo pensado pelo governo municipal é a humanização das áreas, principalmente as periféricas, por meio de espaços de lazer e cultura, além de melhorias nas condições físicas da estrutura da cidade" contou.
O coordenador técnico diz que a polícia e os operadores da segurança pública não controlam os fatores que geram a violência. "Pouco adianta o Estado colocar todo seu aparelho repressor nas ruas se o Município não oportunizar a prevenção primária à violência" disse Roberto, confirmando que essa prevenção se dará por meio de ações sociais e intervenção urbana.
Entre os projetos que serão desenvolvidos estão: PRONASCI (Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania); Mulheres da Paz; Despertar; Arte e Cultura; Biblioteca Itinerante nos bairros; A Leitura Bate a Porta; Observatório da Violência; Promoção da Cultura de Paz e Resolução Pacífica de Conflitos; Campanha sobre Uso Indevido de Drogas; Projetos de Participação e Protagonismo Juvenil; Escola de Paz; Secretaria de Políticas sobre Drogas.
Também estão incluídas nas ações melhorias para a Guarda Civil Municipal; promoção do desenvolvimento, emprego e renda; prevenção e atendimento aos usuários de álcool e drogas; poda de árvores e iluminação pública; videomonitoramento nos bairros; ocupação e humanização de áreas; mobilidade urbana, construção e reforma de quadras poliesportivas, construção de praças de cultura, educação no trânsito e inclusão cultural na Colônia Penal.
O Cidade de Paz se concretizou como modelo de prevenção de segurança pública e foi reconhecido pelo Fórum Brasileiro de Segurança, para o qual foi selecionado para apresentação, entre 17 a 19 desse mês em Cuiabá, Mato Grosso.